O Crânio de Sealand

O Crânio de Sealand é de um extraterrestre?

É um dos artefatos mais controversos descobertos nos últimos anos. O crânio de Sealand levantou inúmeras perguntas para as quais a ciência não consegue encontrar uma resposta.

O crânio de Sealand foi descoberto em 2007 em Olstykke , Dinamarca por trabalhadores que estavam substituindo os canos de esgoto. Até recentemente, ninguém parecia interessado nessa descoberta. Foi em 2010 que o crânio foi examinado pela primeira vez na Faculdade de Medicina Veterinária da Dinamarca. Os pesquisadores concluíram que não foram capazes de resolver o mistério nem fornecer nada que explicasse a que espécie pertencia.

Como os pesquisadores não foram capazes de fornecer mais detalhes e a pergunta sobre o crânio de Sealand era grande, o crânio foi enviado ao Instituto Niels Bohr em Copenhague. A datação por carbono revelou que esse misterioso ser viveu entre 1200 e 1280 aC .

Quando comparado a um crânio humano normal (Fotos), o crânio de Sealand tem várias diferenças. Por exemplo, as órbitas oculares do crânio de Sealand são não apenas largas, mas também muito mais profundas e arredondadas. As órbitas oculares do crânio de Sealand parecem se estender para os lados, enquanto no crânio humano os olhos estão mais centrados. A narina do crânio de Sealand é muito pequena e o queixo é muito estreito. O crânio de Sealand é maior que o tamanho de um Homo Sapiens masculino. As órbitas oculares são muito grandes e a superfície lisa parece indicar que esse ser foi adaptado ao clima mais frio. O tamanho relativo dos olhos sugere que era uma criatura noturna com olhos gigantes.

É interessante notar que os moradores de Olstykke e aldeias vizinhas, desde os tempos antigos, conversaram sobre um grupo local chamado l’Ordre Lux Pegasus, cujo verdadeiro objetivo é um mistério, acredita-se que a missão da Ordem seja o de proteger vários elementos - entre eles um crânio misterioso e vários dispositivos feitos de metais extremamente leves e inquebráveis.

Embora o crânio seja semelhante ao de um humano, ainda existem várias diferenças que o tornam único. Mais pesquisas estão levando à possibilidade de o crânio de Sealand pertencer a um ser extraterrestre que viveu na Terra. Ou, pode ser que pertencia a uma espécie perdida e esquecida de humanos antigos, que eram muito diferentes quando comparados aos humanos modernos.

O conhecimento é muito limitado sobre o nosso passado e, com descobertas como essa, o passado está obscuro, mais do que nunca

No entanto, muitos acreditam que toda a questão era uma farsa elaborada, em particular porque não está mais claro onde está o crânio, quem são os cientistas que o dataram.

Fonte